sábado, 20 de julho de 2013

Encontro de almas


Dizem que para o amor chegar não há dia... 

Não há hora...
E nem momento marcado para acontecer. 
Ele vem de repente e se instala...No mais sensível dos nossos órgãos... o coração. 

Começo a acreditar que sim...Mas percebo também que pelo fato deste momento... Não ser determinado pelas pessoas..
Quando chega, quase sempre os sintomas são arrebatadores... Vira tudo às avessas e a bagunça feliz se faz instalada.Quando duas almas se encontram o que realça primeiro...

Não é a aparência física, mas a semelhança das almas.
Elas se compreendem e sentem falta uma da outra....
Se entristecem por não terem se encontrado antes...Afinal tudo poderia ser tão diferente.No entanto sabem que o caminho é este... 

E que não haverá retorno para as suas pretensões.É como se elas falassem além das palavras...Entendessem a tristeza do outro, a alegria e o desejo...Mesmo estando em lugares diferentes. Quando almas afins se entrelaçam... 

Passam a sentir saudade uma da outra...Em um processo contínuo de reaproximação... Até a consumação.Almas que se encontram podem sofrer bastante também,Pois muitas vezes tais encontros acontecem... Em momentos onde não mais podem extravasar...Toda a plenitude do amor...

Que carregam, toda a alegria de amar... E de querer compartilhar a vida com o outro, Toda a emoção contida à espera do encontro final.Desejam coisas que se tornam quase impossíveis,Mas que são tão simples de viver.Como ver o pôr-do-sol... 

Ou de caminhar por uma estrada com lindas árvores... Ver a noite chegar... Ir ao cinema e comer pipocas...Rir e brincar... Brigar às vezes, Mas fazer as pazes com um jeitinho muito especial. Amar e amar, muitas vezes...Sabendo que logo depois poderão estar juntas de novo... 

Sem que a despedida se faça presente. Porém muitas vezes elas se encontram em um tempo... E em um espaço diferente...Do que suas realidades possam permitir.Mas depois que se encontram... Ficam marcadas ... tatuadas...

E ainda que nunca venham a caminhar para sempre juntas...Elas jamais conseguirão se separar...E o mais importante ...Terão de se encontrar em algum lugar.Almas que se encontram jamais se sentirão sozinhas...Porquanto entenderão, por si só, a infinita necessidade... 

Que têm uma da outra para toda a eternidade.




Rose Carvalho,

Pedagoga e escritora 

sábado, 13 de julho de 2013

A loucura do amor


Cada vez que começo a pensar sobre esse nome, chega a vir pruridos em meu corpo.
Não! Eu não me esqueci de tomar banho e nem fiquei sem minhas capacidades mentais, mas penso no amor, como a necessidade de banhar numa agua limpa e morna todos os dias.

Vejo o amor como a estabilidade de um avião após a turbulência; sendo o piloto a parte da sua  da mente racional. Ele sabe o que precisa ser feito, conhece o avião e todos os seus comandos.
Os passageiros são toda sua experiência de vida, seus medos, fraquezas, incertezas e certezas e toda sua longa história que fora construída com o passar dos anos.

A paixão é a turbulência!
Mexe, sacode- nos e deixa-nos desnorteados e incertos do que pode acontecer dali cinco minutos. Mas não há o que fazer, a não ser passar por ela da melhor e mais segura maneira.

O amor é linear.
É o plano de voo traçado e calculado.
Nele você tem o domínio do avião da sua vida e dos passageiros da sua história de vida. Nele você é o responsável e tem meticulosamente planejado o que vai acontecer.
Não que eu seja expert no amor, mas quem sabe como mulher, vivo mais intensamente a arte de amar.

O amor tem a paciência de esperar até que dados momentos de nossas vidas atinjam patamares almejados, abaixamo-nos e nivelemos até a altura do outro para que se sinta confortável com nossa presença e até mesmo com nossas bobas conversas. Vejo o amor como o prumo que me nivela para compreender melhor o outro.

O amor consegue abafar (até certo ponto) um ciúme que seria danoso num relacionamento ou até mesmo protetor ao ponto de nos tornar altruístas de carteira assinada, mesmo que outrora imperasse um egoísmo quase profano dentro de nosso coração.
Ah! O amor é desprendimento, é individualidade compartilhada, é permitir que o outro entre numa zona que outrora era como um campo minado. Ai de quem pisasse naquele lugar!

Vejo também como o desnude da alma, onde nossas vergonhas e imperfeições são expostas em plena luz do dia e ainda assim não seremos ridicularizados por aquilo, que para nós, muitas vezes tem o peso gigantesco de vergonha ou constrangimento.
O que mais me impressiona é a flexibilidade e extensão que o amor pode ter.
Ele se adapta em qualquer ambiente, classe, cor, credo ou relacionamento, espaço, modo e tempo.
Entra em frestas minúsculas e pode crescer até proporções descomunais. Cria laços, reforça elos, traz identificação com o outro, une diferentes, solidifica o que já existia e consegue permanecer intacto dentro de sua fonte, que somos nós mesmos.

Só amor faz o ser humano aceitar condições que outro sentimento não teria tal capacidade de assimilar e até mesmo transformar nosso eu interior de uma forma espetacularmente melhor.
O amor nos faz aceitar o julgamento alheio e nem sequer nos importamos com o tal.

Então, nesse exato momento você deve estar se perguntando:

- Por que então a loucura do amor?

Porque só um sentimento tão puro, cristalino é capaz de ser 100% doação!

Não espera NADA em troca ou barganha. Ele simplesmente É.
Se tentarmos achar uma explicação lógica para os amores que amamos (sim, um pleonasmo bem vicioso!), corremos o risco de enlouquecer ou mesmo sermos taxados de loucos.
Porque é o momento que tocamos o que há de mais puro e sincero dentro de nós, é esse sentimento chamado amor.

Quando falo disso, não me refiro aos “amores” interesseiros, amizades que parecem ser totalmente transparentes, porém não são, ou mesmo casamentos e relacionamentos por conveniência ou comodismo.
Estou afirmando a respeito daquele momento em que nos voltamos ao nosso coração e nos damos conta de que o objeto do nosso amor pode não ser reciproco ou quiçá desmerecedor de algo tão sincero e verdadeiro.

Aí então podem e muitas vezes nos chamarão de loucos ou idiotas, porque um sentimento unilateral à primeira vista parece um prejuízo, mas não é.
Nesse momento de total insanidade eu digo que nessa vida eu levo prejuízo o tempo todo e mais ainda, eu me alegro com o prejuízo que eu levo.

Porque cada vez que eu consigo amar sem interesse, que eu me doo por completo por alguém ou para alguém é o meu coração que ganha em qualidade, sou eu que me torno melhor como pessoa, porque bebo de uma fonte que está dentro de mim mesma e tenho a capacidade e o poder de matar a sede de quem está perto de mim.

Lembrei-me da música do Lulu Santos que é realmente o que eu penso sobre o amor...

“Eu gosto tanto de você, que até prefiro esconder,
Deixa assim ficar subentendido
Como uma ideia que existe na cabeça e não tem a menor obrigação de acontecer.
Eu acho tão bonito isso, de ser abstrato, baby! A beleza é mesmo tão fugaz.
É uma ideia que existe na cabeça e não tem a menor pretensão de acontecer.
Pode até parecer fraqueza, pois que seja fraqueza então,
A alegria que me dá isso vai sem eu dizer!
E se amanhã não for nada disso, caberá só a mim esquecer.
O que eu ganho e o que eu perco ninguém precisam saber.”

Apenas mais uma de amor- Lulu Santos


Ah! Essas loucuras do amor e de amar...

O que eu ganho e o que perco realmente ninguém precisam saber!  


sexta-feira, 12 de julho de 2013

Certas horas

Há certas horas, em que não precisamos de um Amor...
Não precisamos da paixão desmedida...
Não queremos beijo na boca...
E nem corpos a se encontrar na maciez de uma cama...

Há certas horas, que só queremos a mão no ombro, o abraço apertado ou mesmo o estar ali, quietinho, ao lado...
Sem nada dizer...

Há certas horas, quando sentimos que estamos pra chorar, que desejamos uma presença amiga, a nos ouvir paciente, a brincar com a gente, a nos fazer sorrir...

Alguém que ria de nossas piadas sem graça...
Que ache nossas tristezas as maiores do mundo...
Que nos teça elogios sem fim...
E que apesar de todas essas mentiras úteis, nos seja de uma sinceridade
inquestionável...

Que nos mande calar a boca ou nos evite um gesto impensado...
Alguém que nos possa dizer:
Acho que você está errado, mas estou do seu lado...
Ou alguém que apenas diga:
Sou seu amor! E estou Aqui!

William Shakespeare

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Nunca amaremos condicionalmente

Ame as pessoas — incondicionalmente. Se tiver algumas condições em mente, você nunca será capaz de amar; essas condições virarão barreiras. Se o amor faz bem a você, por que se importar com condições? Se faz tão bem, se causa um bem-estar tão profundo - ame incondicionalmente, não peça nada em troca. Se você entender que só amando aumentará seu destemor, você amará apenas pelo prazer que isso lhe dá!

As pessoas comuns amam só quando suas condições são atendidas. Elas dizem, “Você tem que ser deste jeito, só assim eu amarei você”. A mãe diz para o filho, “Eu o amarei só se você se comportar direito”. A mulher diz ao marido, “Você tem que ser deste jeito, só assim posso amá- lo”. Todo mundo estabelece condições; o amor desaparece.

O amor é um céu infinito! Você não pode confiná-lo em espaços exíguos, condicioná-lo, limitá-lo. Se você areja a casa e depois fecha tudo - todas as janelas, todas as portas —, logo ela fica mofada. Sempre que o amor acontece ele insufla liberdade; você leva ar fresco para a sua casa, mas tudo logo fica mofado, empoeirado.

Esse é um grande problema para toda a humanidade — tem sido de fato um problema. Quando você ama, tudo parece lindo, pois nesses momentos você não impõe condições. Duas pessoas se aproximam uma da outra incondicionalmente. Depois que firmam um compromisso, que passam a ter certeza do amor uma da outra, então as condições são estabelecidas: “Você tem que ser assim, tem que se comportar assim, só dessa forma eu posso amá-lo” — como se o amor fosse uma barganha.

Se você não ama de todo o coração, está barganhando. Você quer forçar a outra pessoa a fazer alguma coisa por você, só então você ama; do contrário, você trairá seu amor. Você está usando seu amor como uma punição, ou como uma imposição, mas não está amando. Ou você nega seu amor ou o demonstra, mas em ambos os casos o amor em si não é a finalidade; a finalidade é outra.

Se você tem uma esposa, então dá presentes a ela — ela fica feliz, abraça você, o beija; mas, quando você não traz nada para casa, vocês se distanciam; ela não o abraça, não chega perto de você. Quando você faz coisas desse tipo está esquecendo que, quando ama, o amor faz bem a você, não só aos outros. O amor, em primeiro lugar, faz bem àqueles que amam. E, depois, faz bem àqueles que são amados.

As pessoas vêm até mim e sempre me dizem, “Tal pessoa não me ama”. Ninguém chega e diz, “Eu não amo tal pessoa”. O amor virou uma exigência: “O outro não me ama.”

Esqueça o outro! O amor é um fenômeno tão lindo, se você ama você usufrui.

Osho, em "Coragem: O Prazer de Viver Perigosamente"

domingo, 7 de julho de 2013

Sinfonia do Silêncio

Nos ventos uivantes dos meus pensamentos

Ecoam lembranças de um tempo de outrora







Como melodia de uma ária em sol maior
De raios cálidos em tardes de setembro
Balançam sentimentos de tão grande nostalgia
Dos beijos apaixonados em nossa alcova
Corações compassados num mesmo ritmo
De tons inconstantes do amor sem fim
A alegria do teu riso virou tormento
Quando pela porta partiste sem volta
Dor cinza de um nublado tempo
Cercou-me a mente e fez chover em meus olhos tristes
No ar, teu perfume virou somente saudades
Por isso me pergunto se tudo isso ainda é verdade
Olhando pela janela, no frio de minha alma
Como uma sinfonia muda dentro em mim no silêncio.




Lisi Prestes

Entendendo a cabeça masculina

Bem, assim como num post passado, coloquei coisas sobre o que os homens gostariam de saber sobre as mulheres, agora vai a dica básica pra tentar resumir a cabecinha masculina!

Prestem atenção meninas, tudo isso é um fato!
Direto e reto e sem frescura.

Vamos lá?



1. Fale o que pensa. Não é por mal, mas não somos muito bons com indiretas;

2. Quando fizermos uma besteira, fale – uma vez;

3. Eu sinto tesão por você, não pela sua prima ou pela sua vizinha;

4. Maneire nas sua sobrancelha. Uma linha fina em cima do olho não é bonito;

5. Você fica extremamente sexy com aquele seu pijama velhinho de algodão;

6. Não tenha medo de dispensar a maquiagem – natural é sempre mais sexy;

7. Vocês mentem muito mal quando dizem que está tudo bem – nós sabemos que não está, só não sabemos o que aconteceu;

8. Você pode me chamar pra transar a hora que quiser. De verdade;

9. Masturbação me dá 1/10 do prazer que sinto no sexo com você. Acredite;

10. Não tem som melhor no mundo do que ouvir você tendo um orgasmo;

11. Quando vocês ficam bravas com coisinhas pequenas e insignificantes, nós questionamos sua inteligência;

12. Se eu te dou opinião quando você está se arrumando, significa que você está muito atrasada;

13. Não me peça pra te ajudar a escolher com qual roupa vai sair. Eu provavelmente vou fazer uma escolha ruim e a gente vai se atrasar ainda mais;

14. Mas me dar duas ou três opções de roupa já são outros 500, desde que você troque de roupa na minha frente. Bem devagarzinho;

15. Adoramos quando vocês fazem rabo de cavalo;

16. Celulite ou lingerie feia só nos incomodam se estiverem em um estado muito crítico;

17. Uma passada de mão inesperada é sempre bem-vinda, até em lugares públicos. Principalmente em lugares públicos;

18. Você pode escolher o filme, mas tem que ter um motivo para querer vê-lo;

19. Quando você me chama no chat do trabalho “só pra falar um oi” eu não estou realmente prestando atenção – estou checando meu e-mail;

20. Não espere que tenhamos uma conversa por SMS, a não ser que inclua a palavra “esperando” e “pelada”;

21. Sempre que quiserem cozinhar, irão nos fazer feliz;

22. Nós temos um alarme de perigo iminente que sempre dispara quando vocês perguntam: “Você acha aquela mulher bonita?”;

23. Não confie na gente para mantê-las atualizada sobre as fofocas;

24. Não, eu não me lembro o que ele disse depois. Nem o que ela disse. Nem me lembro do homem de camisa roxa perto da porta. Somos ruins em detalhes; ( nem todos, aff)

25. Tenha opinião própria, não me pergunte se está gorda se já sabe a resposta;

26. Não grite, nem com suas amigas. Isso não é legal, mesmo;

27. Aprenda a jogar videogame, nossos finais de semana teriam uma emoção a mais;

28. Às vezes, nós nos perguntamos porque mulheres tão incríveis querem ficar com a gente. ( essa é pra dar um UP na moral da mulherada! hahahah)


Então meninas, gurias e mulheres...
Já sabem né??


Um beijo da gorda ( e indo pra ex, kkk)

Lisi Prestes

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Um nó de todos nós

Um  nó, dois nós
Eu, mais um ou mais, um ser simplesmente
O eu poético do verdadeiro encontro
Nó, no plural, nós
Se o nó é na garganta e um de nós aflito
O outro sossegado, erudito, tem o antídoto
E assim, sucessiva, alternada
E alternativamente, amigos
Do saber, no lazer, no ócio e no labor
Buscando o equilíbrio, temperante
Dás-me que dou todo meu ser
Todo meu querer ser
Todo ouvido, havendo ouvido
E por seus conteúdos movido
Cada indivíduo vai e ver vir ávido dizer...
Conte comigo!
Práxis edificante

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Responda com sinceridade


O que querem as mulheres afinal...

Se eu fosse um homem teria muitas mulheres aos meus pés encantadas, doces e felizes.
Não que eu fosse o mais bonito, o mais rico ou soubesse a cura do câncer mas eu saberia de um segredo:
 
O que afinal querem as mulheres??
 
 Não adianta passa-se da Idade Média ao baile funk, do não direito ao voto ao cargo mas alto de um multinacional, é desejo universal das mais tolas às mais independentes todas querem uma coisa :
 
ROMANTISMO...
 
 Queremos delicadeza é tão simples. Não falo de grandes espetáculos com show pirotécnico, falo de pequenos atos cotidianos que fazem a diferença total :
 
Presentes em dias normais, trocar o ''Você é linda'' pelo ''Não consigo parar de te olhar'' , o ''Te amo'' pelo '' Sou louco por você'' ou então aproveitar aquele fim de domingo tedioso pra soltar um '' Ainda bem que você esta por perto, tudo seria ruim sem você'' .
 
Ok homens, é clichê, é besteira, não é coisa de homem (já escutei demais essa besteira por aí) mas é a forma mais simples que eu conheço de manter um mulher feliz e apaixonada pra sempre.
 
 E eu garanto não dói e não cansa pelo contrário se ganha uma mulher mais satisfeita e carinhosa.
 
Sério eu só vejo benefícios, eu seria O CARA .
 
 É muito fácil entender o que querem as mulheres, basta vocês usarem sua parte pensante de vez em quando...

 é bem simples amor :)

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Meu mundo de palavras soltas



Quando escrevo, mergulho num mundo só meu
Sem a necessidade de vir à tona pra respirar
Pois lá, no meio das minhas palavras soltas e perdidas
Há o fôlego que necessito para o fluir da minha escrita.

 É como se minh'alma pudesse tocar o chão e o céu ao mesmo tempo
Onde as letras criam vida e tomam proporções inimagináveis
Onde o poder da graça que me alcançou, fosse tangível aos meus dedos
E o calor do fogo consolador, abrandasse os dias frios das minhas perturbações.

Lá eu, nasço, cresço, vivo e morro
Crio, faço, desfaço, de novo e de novo
Onde cada um tem seu lugar especial dentro da minha mente
Lembranças, sorrisos, tristezas e até de repente
Seu próprio quarto com chave permanente.

E quando o sufoco começar apertar meu peito
Olho pro lado, fica turvo e perco o jeito
Nado lentamente até margem do meu mundo imaginário
Me despeço com um beijo, um até breve e fecho a porta do armário.
Carrego comigo essa chave da alma literata
Que me abre as portas de um lugar onde só eu enxergo com meu coração!
 
 
Lisi Prestes

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Parafraseando Provérbios 31



 Há mulheres de todos os gêneros. Histéricas, batalhadoras, frescas, profissionais, chatas, inteligentes, gostosas, parasitas, sensacionais. Mulheres de origens diversas, de idades várias, mulheres de posses ou de grana curta. Mulheres de tudo quanto é jeito.
Mas se eu fosse homem prestaria atenção apenas num quesito: se a mulher é do tipo que puxa pra cima ou se é do tipo que empurra pra baixo.

Dizem que por trás de todo grande homem existe uma grande mulher. Meia-verdade. Ele pode ser grande estando sozinho também. Mas com uma mulher xarope ele não vai chegar a lugar algum.

Mulher que puxa pra cima é mulher que aposta nas decisões do cara, que não fica telefonando pro escritório toda hora, que tem a profissão dela, que o apoia quando ele diz que vai pedir demissão por questões éticas e que confia que vai dar tudo certo.
Mulher que empurra pra baixo é a que põe minhoca na cabeça dele sobre os seus colegas, a que tem acessos de carência bem na hora que ele tem que entrar numa reunião, a que não avaliza nenhuma mudança que ele propõe, a que quer manter tudo como está.

Mulher que puxa pra cima é a que dá uns toques na hora de ele se vestir, a que não perturba com questões menores, a que incentiva o marido a procurar os amigos, a que separa matérias de revista que possam interessá-lo, a que indica livros, a que faz amor com vontade.

Mulher que empurra pra baixo é a que reclama do salário dele, a que não acredita que ele tenha taco pra assumir uma promoção, a que acha que viajar é despesa e não investimento, a que tem ciúmes da secretária.

Mulher que puxa pra cima é a que dá conselhos e não palpite, a que acompanha nas festas e nas roubadas, a que tem bom humor.

Mulher que empurra pra baixo é a que debocha dos defeitos dele em rodinhas de amigos e que não acredita que ele vá mais longe do que já foi.

Se por trás de todo grande homem existe uma grande mulher, então vale o inverso também: por trás de um pequeno homem talvez exista uma mulher pequena.




segunda-feira, 24 de junho de 2013

Acostumar-se



 Eu sei que a gente se acostuma, mas não devia.
A gente se acostuma a morar em apartamento de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor.

 E porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora.
E porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas.
E porque não abre as ...cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz.
E porque, à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.
A gente se acostuma a acordar de manhã, sobressaltado porque está na hora. Toma café correndo porque está atrasado. Lê jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem. Come sanduíches porque já é noite. Cochila no ônibus porque está cansado. Deita cedo e dorme pesado sem ter vivido o dia.
A gente se acostuma a abrir a janela e a ler sobre a guerra. E aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz. E aceitando as negociações de paz, aceitar ler todo dia de guerra, dos números da longa duração.
A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: hoje não posso ir. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisava tanto ser visto.
A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o que necessita. E a lutar para ganhar o dinheiro com que paga. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagará mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com o que pagar nas filas em que se cobra.
A gente se acostuma a andar na rua e ver cartazes, a abrir as revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir a comerciais. A ir ao cinema, e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.
A gente se acostuma à poluição. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às besteiras das músicas, às bactérias da água potável. À contaminação da água do mar. À luta. À lenta morte dos rios.
E se acostuma a não ouvir passarinhos, a não colher frutas do pé, a não ter sequer uma planta.
A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber. Vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá.
Se o cinema está cheio, a gente se senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço.
Se a praia está contaminada, a gente só molha os pés e sua no resto do corpo.
Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana.
E se no fim de semana não há muito o que fazer, a gente vai dormir cedo e ainda satisfeito porque tem sono atrasado.
A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se da faca e da baioneta, para poupar o peito.
A gente se acostuma para poupar a vida.
 
 
Que aos poucos se gasta, e que, de tanto acostumar, se perde de si mesma.
 
Mas eu não quero mais me acostumar a nada...
 
Porque para mim, nesse exato momento, é tempo de MUDANÇAS!
 
 
Com amor
Lisi Prestes.
 
 
 
 
Texto de autoria de Marina Colasanti

domingo, 5 de maio de 2013

O guarda roupas, o tempo e o espaço


Estava eu, sentada em frente ao guarda roupas, pensando em como arrumar toda aquela bagunça!!
Confesso que não gosto de arrumar roupas, me tomam tempo e paciência! Mas chega um ponto que se é necessário abri-lo, encarar a realidade e botar mão na massa, ou melhor na roupa!

Sempre temos algo a mais que no momento não está sendo útil , mas mesmo assim acabamos por deixa-las pelo canto, somando com outras e mais outras.
 
Confesso que tenho tanta coisa que não uso, mesmo assim, acabo por guardando e deixando-se somar com as montanhas de outras peças inúteis em meu guarda-roupas.

Como num exercício de terapia, fui tirando tudo, baixando ao  chão sem dó nem piedade, como uma escavadeira abrindo um buraco na terra. Que sensação de alívio poder botar tudo abaixo, desmoronar, e mesmo sabendo das dificuldade de ter que organizar aquela bagunça toda, um sentimento de liberdade se apoderou de mim.

LIXO LIXO LIXO, doação, doação e doação!!

Aos poucos, fui separando coisas velhas e sem utilidade para mim naquele momento, das peças que eu ainda usaria. Cada uma delas me lembravam uma história, um presente, um cheiro, uma palavra.
Fiquei ali curtindo aquele momento de lembrar de coisas boa e também coisas que não foram tão boas assim, mas fazem parte da minha vida, da minha história!

Quanto mais eu dobrava, mais me vinha a sensação de que as histórias de nossa vida precisam ser organizadas como aquelas roupas. No seu devido lugar, junto com o parceiro certo.
O tempo torna-se um aliado da nossa história, como aquele guarda-roupas à cada peça nele contida. Se não for bem organizado, ocupará um espaço desnecessário trazendo desorganização e enfado para nossa vida.
Por esse motivo, há momentos que necessitamos por tudo abaixo e fazer uma " geral", como costumo dizer para minha filha, com relação à arrumar algo do começo ao fim.

O problema disso tudo é que muitas vezes não desejamos fazer a geral em nossas vidas!!
 É claro que é muito mais fácil ficarmos colocando as coisas dentro do nosso guarda-roupas da memória e das nossas lembranças, quase que forçadamente esquecidas, e não nos preocuparmos em organizar... só que vai chegar um dia que será necessário mexer e aí pode ser um pouco mais doloroso do que se tivéssemos mantido tudo em ordem ( e eu bem sei muito sobre isso!!!!).

Como assim??

Sabe aquela dor de cabeça que você não sabe de onde surgiu e está demorando a passar?
Ou então um embrulho engraçado no estômago que toda vez que você se lembra de algo, volta com força?
Pois bem amigos e amigas do Super Mulher...
 
Nosso corpo acaba dando os sinais daquilo que vamos acumulando desorganizadamente, ou simplesmente jogamos dentro de nossa mente, a  responsável por manter esse seu corpinho ( e o meu também!)  em funcionamento pleno e tranquilo.

Acabamos psicossomatizando todo aquele acumulo de sentimentos e pensamentos , gerando enfermidades de fundo emocional.

Mas o que podemos fazer para que isso tome outro rumo em nossa vida??
 
 
 
ORGANIZAR O GUARDA ROUPAS!!!! Tchan Nannnnn!

Sim, desocupar a nossa mente de coisas que são desnecessárias ou que estão tomando um rumo e espaço e proporção que não deveria ter em nossas vidas!
 
Fazer uma limpa, uma faxina na mente, deixando-se ser tratado por Deus em todos os aspectos e elementos de sua vida.
 
Colocar cada coisa em seu devido lugar, desde o pequeno pensamento até a grande dúvida ou preocupação. Tudo precisa estar em perfeita ordem para que haja espaço, para sabermos onde o que pegar, qual o devido lugar de cada coisa, mandando tudo que é desnecessário embora, partilhando aquilo que não serve mais pra você hoje com alguém que está precisando e será muito útil.
 
Dá trabalho??!!! - Simmmmmm
É cansativo??!    - Simmmmmmm
Exige tempo??!    -Simmmmmmm
 
Mas o resultado vale à pena ( e muitas vezes, vale a galinha inteira! rsrsrs)
 
Mas depois que tudo passa, que aquela turbulência medonha e o enfado de ter que remexer em coisas que não queríamos mexer, dá lugar ( e que lugar nisso!!) à uma sensação boa de dever cumprido, de que você e eu somos capazes de por a casa em ordem, todas as vezes que forem necessárias
 
 
Sabe o que o mais gostoso nisso tudo?? É  você sentar, mesmo cansado ( e aliviado) poder dizer:
 
 
Tudo Posso Naquele que Me Fortalece!!! ( Filipenses 4:13)
 
 
 
 
 
Com meu dever cumprido e fortalecida!
No amor de Cristo
 
Lisi Prestes
 
 
 


sexta-feira, 22 de março de 2013

Espelho, espelho meu!

O belo é uma promessa de felicidade?

A necessidade de aprovação é inerente no ser humano. Quem não gosta de um elogio, de aplausos e de toda forma de reconhecimento?

Busca-se constantemente a resposta positiva do outro sobre tudo o que se faz. Mas para que todos estes atos conquistem aprovação precisa-se de um atributo: a beleza. Mas como conquistá-la? Afinal o que é a beleza e onde ela está? Ao considerar que a beleza para uns não é a própria para outros, a resposta a estas perguntas torna-se efêmera. A não ser que se escolha a beleza generalizada, aquela que a sociedade elege.

Será que a música mais bela é a mais tocada? Aprecia-se a letra e melodia ou dança-se no ritmo “Maria vai com as outras”? O perfume das estrelas é o que combina com cada pessoa? Um só produto consegue atingir esse patamar? A tela mais cara dos leilões é agradável aos olhos e combina com todo e qualquer ambiente? O mais intrigante nisso tudo é que muitas pessoas consideram-se felizes se tiverem produtos escolhidos pela sociedade como os melhores, mas essa felicidade é passageira, pois sempre haverá uma novidade. A busca pelo belo é eterna, pois nem tudo o que é belo, o será para sempre.

Há também a preocupação em carregar em si a beleza e nesse sentido os padrões não perdoam. Se as mulheres não forem magérrimas e os homens musculosos, serão desconsiderados nos requisitos de beldades e a busca por essa perfeição tem levado à morte muitas pessoas, não só no Brasil, mas no mundo. A beleza estabelecida pela mídia é motivo de cirurgias desnecessárias, uso de drogas para estimular crescimentos dos músculos, implantes de cabelos, dentes, etc. Mas essa felicidade também é passageira, porque a beleza pessoal dura menos que a material.

É importante lutar para adquirir o que é belo e para buscar a beleza física, afinal, sonhar e querer coisas melhores é bom, mas é necessário priorizar o gosto e a necessidade pessoal. Não é desconsiderar totalmente a opinião de outrem, mas não fazer dela a razão de viver, pois seria muito injusto pesar a própria felicidade na balança alheia. A felicidade deve estar presente todos os dias na vida do indivíduo. É vencer, é conquistar, é crescer, é sobreviver, é sorrir. O sorriso sim, esse consegue ser belo sempre.

As Escrituras Sagradas dizem que a beleza deve vir do íntimo do coração (I Pedro 3:4). Muitas mulheres foram notadas por sua beleza nos templos bíblicos: Sara, Rebeca e Ester que participou de um concurso de beleza e venceu. Porém, a verdadeira beleza não está em um rosto bonito ou um traje elegante, mas no interior. Os enfeites externos devem melhorar o que já é bonito por dentro e jamais disfarçar características negativas.

Não sei quando o belo passou a ser promessa de felicidade, mas é só uma promessa, não é garantia. A felicidade está também no belo e não só nele. A felicidade está naquilo que alegra o exterior e edifica o interior. A felicidade está no que preenche o vazio da alma humana: em Deus.

Luisa Neves, mãe, pastora, estudante de jornalismo na UNIFRA- SM/RS.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Coisas que o tempo ensina!



Dez Coisas que Levei Anos Para Aprender:



1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom, não pode ser uma boa pessoa.





2. As pessoas que querem ...compartilhar as visões religiosas delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas.










 3. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance.







 4. A força mais destrutiva do universo é a fofoca.











5. Não confunda nunca sua carreira com sua vida.













 6. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite.







7. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão pela qual a raça humana ainda não atingiu (e nunca atingirá) todo o seu potencial, essa palavra seria “reuniões”.










8. Há uma linha muito tênue entre “hobby” e “doença mental”.















9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito.
















10. Nunca tenha medo de tentar algo novo. Lembre-se de que um amador solitário construiu a Arca. Um grande grupo de profissionais construiu o Titanic.











Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão… que o AMOR existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim… e que valeu a pena!"






Com amor

Lisi Prestes








 Texto de Luís Fernando Veríssimo

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Lembranças e Esperanças




Quero começar esse dia, lembrando de coisas boas, lembrando de pessoas que eu amo e me fazem muito bem!
Que moram longe territorialmente, mas tão perto do coração que nem se imagina!
Hoje há dentro de mim, um sentimento ambíguo que me abate o coração!
Alegria intensa, pelo aniversário da minha MÃE querida! Antonia!
Mulher guerreira, de fé, lutadora, amorosa ao extremo, vó cuidadosa, mãe super protetora ( e muito brava , diga-se de passagem!!), mas uma mãe que ama muito, assim como todas as outras!
Quero desejar tuuuudo de melhor em Cristo para essa minha mãe querida!


Mas ao mesmo tempo, há um vazio dentro de mim, pois meus amados Andreia Teofilo, Nicolas Teofilo Teófilo Amigo de Deus estão voltando para Bela Vista - MS.

Que mês tão que passamos juntos!
Ahhh! Que presente de Deus estar Deus estar com que amamos!

Quantas risadas, litros de chimarrão e tererê ( ô, gente pra tomar tererê nessa vida!), histórias, experiências, enfim um tempo de qualidade!

Mas esse gosto de saudades que dói, a gente peneira tudo e retém aquilo que é bom.

Vai ficar em mim, as tardes de risadas por coisas tão bobas, os causos Mato-Grossenses, as receitas de uma vida de melhor qualidade ( e diga-se de passagem estão num fitness invejável!!!!), das coisas que Deus tem feito por lá através de suas vidas, os momentos com meu amado sobrinho me ensinando sobre informática e risadas engraçadas, as crianças interagindo de um modo especial, o cuidado do Ni pelo nosso Davizinho. 

O dia tão bom e divertido em Nova Palma com a Marcia Mayer e sua família que é mais um pedaço de nós, a sessão de foto comédia com as modeletes, kkkkk! O jogo de futebol em família, os churrascos, enfim, o tempo que reservamos para quem amamos!

Diante disso tudo, me resta filtrar as coisas que nos entristecem ou nos deixam " para baixo", e lembrar das coisas boas. Há um versículo na Bíblia que fala - ' quero trazer à memoria o que pode me trazer  esperança' em Lamentações 3:21.

Até o presente momento não havia falado nada sobre os fatos acontecidos  do dia 27/01 e também não vou entrar em muito detalhes. 
O que quero dizer é que nos resta lutar pela esperança de melhores dias, de nós mesmo como pessoas melhores, como pais e mães mais amorosos, como amigos mais intensos e fiéis.


Não deixando passar o momento em que veio até o talo da garganta aquele 'eu te amo', ou então o ' conta comigo'  ou até mesmo: ' eu entendo você'.


Mesmo que tenhamos um perfil do face lotado de amigos, chegar perto e dar um cheiro em quem se ama não tem preço, quer seja família de sangue ou a família do coração.


Não deixar de passar aquela oração a Deus, um momento de reflexão ao ler a Bíblia ou um livro edificante. Não deixar passar o bom dia ao vizinho de cara fechada ou mesmo o carinho na cabeça do cachorro festeiro.

Não deixar passar o riso bom pelas coisas que Deus nos tem dado através do trabalho suado, das conquistas de um caráter bem moldado nas lutas  ao ferro e fogo de nosso dia-a-dia. Daqueles que ainda estão no hospital e todos torcendo por suas saídas, pelas mãos esforçadas dos médicos que procuram a solução rápida e eficaz, pelos voluntários que dão apoio, pão, água e acima de tudo alento e amor, pelas conquistas de um filho que está aprendo a falar e pela outra que luta por passos firmes e um sorriso largo. 


   

Por um pai que mesmo não enxergando direito, conquistou um carro novo. Por maridos e esposas que lutam diariamente para fortalecer e solidificar seus casamentos.
Enfim, fortalecer a esperança através de gestos simples do nosso dia, para que assim como Paulo, o apóstolo, disse, quando findar nosso tempo nessa terra, possamos dizer antes de partir: 
" Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. 2 Timóteo 4:7"

Um bom dia a todos!
No amor de Cristo


Lisi Prestes.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Lobos Internos



Olá amados do Super Mulher...



Há dias pensando e refletindo sobre algo a postar..
Como não gosto de ficar só colocando posts prontos ( o que me ajuda bastante e também posso colaborar e compartilhar posts de amigos), sempre paro e reflito sobre algo que vai ao encontro do meu coração e também possa o ser do seu.


Tendo em vista, nossa alma como ponto chave, e quando refiro-me à alma, falo de nossas emoções e sentimentos,  há uma velha história, bem conhecida de todos, que a partir dela quero trazer uma reflexão à sua vida:




"Certa vez um velho Avô disse a seu neto, que veio a ele com raiva de um amigo que lhe havia feito uma injustiça: "Deixe-me contar-lhe uma história. Eu mesmo, algumas vezes, senti grande ódio àqueles que aprontaram' tanto, sem qualquer arrependimento daquilo que fizeram. Todavia, o ódio corrói você, mas não fere seu inimigo. É o mesmo que tomar veneno, desejando que seu inimigo morra. Lutei muitas vezes contra estes sentimentos".E ele continuou: "É como se existissem dois lobos dentro de mim. Um deles é bom e não magoa. Ele vive em harmonia com todos ao redor dele e não se ofende quando não se teve intenção de ofender. Ele só lutará quando for certo fazer isto, e da maneira correta. Mas, o outro lobo, ah!, este é cheio de raiva. Mesmo as pequeninas coisas o lançam num ataque de ira! Ele briga com todos, o tempo todo, sem qualquer motivo. Ele não pode pensar porque sua raiva e seu ódio são muito grandes. É uma raiva inútil, pois sua raiva não irá mudar coisa alguma! Algumas vezes é difícil de conviver com estes dois lobos dentro de mim, pois ambos tentam dominar meu espírito". O garoto olhou intensamente nos olhos de seu Avô e perguntou: "Qual deles vence, Vovô?" O Avô sorriu e respondeu baixinho: "AQUELE QUE EU MAIS ALIMENTO..."



Aí entra minhas questões diárias: Quem realmente eu estou alimentando??

O Lobo Bom ou o Lobo Mau???


Parece coisa de história infantil, mas não é não!!

O ser humano dentro de sua capacidade e faculdade mental, tem algo chamado cérebro (alguns usam outros nem tanto), rico em fertilidade de criação, imaginação e plena absorção de coisas externas.


Deixa-me dar um exemplo: Tenho um bebê de 1 ano e 8 meses, e costumo chamá-lo de REC REPEAT!! 


Tudo que falo e faço ele me copia, dia desses falei mais severamente com minha filha de 6 anos e ele mais que rapidamente foi perto dela e balbuciou algo, mas em tom de ameaça a ela!! Como é perigoso o mau exemplo para nossos filhos!!

Na mesma hora, conversei com ele, expliquei sobre a mana e pensei com meus botões: Preciso urgentemente cuidar o que falo perto do Davi.


Mas e quando temos que cuidar de algo que os outros não vêem?? Hein??

Quando lobos ferozes dentro de nós que atrapalham nosso caráter até então externamente despercebidos?
A Palavra nos diz que mais forte é aquele controla a si mesmo do que o que conquista uma cidade ( Prv 16:32)!

Dominar nossos medos, anseios, caráter, pensamentos, atitudes, palavras, não nenhuma tarefa fácil, exige de nós uma disciplina quase monge tibetânica, mas não é impossível! ( Jo 16:33)

As vezes esquecemos  dos lobos.. e simplesmente atiramos  comida.. o mais forte vai pular na frente e vai comer!
É necessário alimentar o lobo certo, o lobo que vai nos ajudar a refinar nosso caráter, que vai nos proporcionar estratégias de guerra contra nosso EU carnal.


Lembremo-nos que vida é feita de escolhas, precisamos compreender que todas as coisas sãos consequência delas. O que precisamos saber e fazer sãos as escolhas corretas! ( I Cor 9:25-26)

Um grande abraço
NO amor de Cristo


Lisi Prestes



sábado, 26 de janeiro de 2013

Alma Poeta

Bem, meu povo querido do Super Mulher!!
Vou mostrar a vocês um lado que poucos conhecem: 

Super Mulher Poeta!!!!

Pois é, pois é!

Tenho uma coleção delas, a grande maioria já digitalizada e as mais antigas ainda estão no papel!

Mas vou deixar a vocês uma das mais novinhas...








Lua Serena

Alva e resplandecente, és tu lua de verão
Brilhas a mim com as estrelas
De longe avisto teu clarão

Vento morno no meu rosto
balança meus longos cabelos
Quero andar baixo tua luz
no brilho do teu apelo

Lua linda, lua serena
quem em ti pôs os pés no céu
lua cheia da noite quente
no teu brilho não há labéu.

Inspiração da jovem poeta
escrevendo à luz da lua
poderias ser muito mais vista
se não fosse a luz da rua.


Um abraço

Lisi Prestes

domingo, 6 de janeiro de 2013

Martha Medeiros


6 de janeiro de 2013 | N° 17304
Martha Medeiros

Minha Turma

Ela é uma amiga recente. Tem três filhos, sendo que um deles possui uma síndrome rara. É uma criança especial, como se diz. Acabei de ouvi-la palestrar a respeito de como é o envolvimento de uma mãe com um ser que necessita de tanta atenção. Eu estava preparada para ouvir um chororô, e não a acusaria, ela teria todo o direito se. Mas o “se” não veio.

O que vi foi uma mulher comovente e leve ao mesmo tempo, recorrendo ao humor para segurar a onda e para não se desconectar de si mesma. Ela deu uma choradinha, sim, mas de pura emoção e gratidão por passar por essa experiência que dá a ela e a esse filho uma cumplicidade também fora do comum. Quando ela terminou de falar, pensei: “Essa é da minha turma”.

E silenciosamente a inseri no rol dos meus afetos verdadeiros. Estranhei ter sido essa a expressão que me ocorreu, “minha turma”, e só então percebi que, durante a vida, a gente conhece um mundaréu de pessoas, estabelece variadas trocas de impressões, passeia por outras tribos e tal.

São homens e mulheres que chegam bem perto do nosso epicentro, nem sempre por escolha, mas porque são parentes de alguém, conhecidos de não sei quem, e que acabam sendo agregados à nossa agenda do celular. Até que o tempo vai mostrando uma dissimulação aqui, uma maldade ali, uma energia pesada, e você se dá conta de que alguns não são da sua turma.

Da série “Coisas que a gente aprende com o passar dos anos”: abra-se para o novo,  mas na hora da intimidade, do papo reto, da confiança, procure sua turma. É fácil reconhecer os integrantes dessa comunidade: são aqueles que falam a sua língua, enxergam o que você vê, entendem o que você nem verbalizou.

São aqueles que acham graça das mesmas coisas, que saltam juntos para a transcendência, que possuem o mesmo repertório. São aqueles que não necessitam de legendas, que estão na mesma sintonia, e cujo histórico bate com o seu. Sua turma é sua ressonância, sua clonagem, é você acrescida e valorizada. Sua turma não exige nota de rodapé nem resposta na última página. Sua turma equaliza, não é fator de desgaste. Com ela você dança no mesmo compasso, desliza, cresce, se expande. Sua turma é sua outra família, aquela, escolhida.

Não tenho mais paciência com o que me exige atuação, com quem me obriga a usar palavras em excesso para ser compreendida. Não tenho mais energia para o rapapé, para o rococó, para o servilismo cortês, para o mise-en-scène social. Não tenho motivo para ser quem não sou, para adaptações de última hora, para adequações tiradas da manga. Não quero mais frequentar estranhos, em cujas piadas não vejo a mínima graça.

Não quero mais ser apresentada, muito prazer, e daí por diante ter que dissecar minha árvore genealógica, me explicar em nome dos meus tataravôs, defender posições que me farão passar por boa moça. Não quero mais ser uma convidada surpresa. Se você mandar eu procurar minha turma, acredite, tomarei como carinho. 



Como não me identificar com essa crônica?????

Meu bom dia a todos!!

Lisi Prestes
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...